Uma conversa comigo mesma.

“E as gotas caem. Uma por uma, você as sente em seu cabelo, descendo pelo seu corpo, lavando a superfície dele. Você sabe que é artificial, sabe que aquela àgua não adiantará de nada para lavar aquilo que você realmente precisa. Sua alma. Você sente as lágrimas subindo a seus olhos, mas as segura. Você sabe que não deve chorar, sabe que não há motivo. E mesmo assim, as lágrimas teimosas insistem em querer sair de dentro de você. Expandir, se livrar desse mundo deprimente em que elas estão presas. E você, mesmo assim, se recusa a deixa-las passar. Você é egoista, sabia? Egoísta a ponto de estar querendo chorar, tendo a vida que tem. Sua vida é perfeita, e você sabe disso. É, você sabe de tudo isso, e ainda assim insiste em sentir dor? Porque ainda insiste em sentir essa confusão que se tornou inerente? Íncrivel. Você tem uma família, alguém que te ama de verdade e mais amigos verdadeiros do que você jamais sonhou ter! E ainda assim, sentes vontade de chorar? Ainda sente o grito preso na sua garganta seca? Ridículo. Onde está aquela menina que dizia-se otimista? Aquela menina que falava que iria parar com isso, que iria mudar? Onde está? Me diga, vamos. Eu desafio você a responder. Você sabe que sua vida não está nem perto do que estava naqueles tempos escuros. Sua vida está perfeita… Acorde! Acorde para o mundo real! Você não é mais aquela menina criança. Você havia falado que amadureceu, mas eu não vejo nenhum tipo de amadurecimento agora. Olhe para o seu rosto! Diga-me que estou mentindo! Vamos, diga! E continua sofrendo, enquanto está aí, presa nessa cabine de vidro, segurando as lágrimas que tanto querem sair por motivos que nem ao menos existem. Você é egoísta. Tremenda e completamente egoísta. Quantos pessoas você acha que não estão morrendo para ter uma vida como a sua? Quantas pessoas não estão muito pior que você? Pessoas com motivos reais para chorar e sofrer. E você não aguenta nem segurar um choro. Sabe o que você é? Fraca. Fraca por não aguentar isso, essas besteiras que você acha que são importantes o suficiente para te derrubar. Estupidamente fraca. Como você pode ainda ter medo dos trovões? Do escuro? Da solidão? Como você pode ainda ter medo de todas essas coisas se você sabe que nenhuma delas tem força o suficiente para te derrubar, ou ao menos existem agora!? Como você pode ser tão covarde? Cresça. Vire a pessoa que esse mundo precisa, e não uma menina estúpida que só sabe sofrer. Existem pessoas aí fora,  que também precisam de você. E você mal consegue se aguentar sozinha. Por favor, cresça. Seja forte, aguente tudo isso! Não chore! Não chore… Por favor. Por favor, só pare. Porque se isso continuar por muito mais tempo, eu também não terei forças para te ajudar. Porque eu também estou caindo. Eu também estou perdendo. Estou me sentindo acumulada com tudo que você junta dentro de nós. Então, pare. Por nós. Por eles. Por alguém. Por ninguém. Não importa, mas simplesmente, pare. Porque eu estou fraca, e não vou mais conseguir seguir em frente por nós duas. E, se continuar assim, eu talvez não tenha mais forças para levantar pela manhã.”

De Limye para Limye.

Anúncios

Dê um oi, não precisa ter medo :3

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s