Uma conversa comigo mesma.

“E as gotas caem. Uma por uma, você as sente em seu cabelo, descendo pelo seu corpo, lavando a superfície dele. Você sabe que é artificial, sabe que aquela àgua não adiantará de nada para lavar aquilo que você realmente precisa. Sua alma. Você sente as lágrimas subindo a seus olhos, mas as segura. Você sabe que não deve chorar, sabe que não há motivo. E mesmo assim, as lágrimas teimosas insistem em querer sair de dentro de você. Continuar lendo