Querido Diário, Dia 17.

Curitiba, 21 de fevereiro de 2012 — 01h03min

” I’d imagine the whole world was one big machine. Machines never come with any extra parts, you know. They always come with the exact amount they need. So I figured, if the entire world was one big machine, I couldn’t be an extra part. I had to be here for some reason.”  

Brian Selznick

 Fala memorável do filme “A Invenção de Hugo Cabret”. Acabei de assistir esse filme. E essa fala, não tem comentários. Não irei traduzir por liberdade poética. Na minha opinião, ela perde a magia na tradução. Filme explendido. Se você tem algum tipo de interesse por cinema, e gosta de sua história e tem um bom gosto para filmes, esse filme é para você. Emocionante, lindo, com um 3D que funciona e extremamente bem filmado. Assistam, pelo amor aos filmes.

Foi um fechamento memorável para o meu dia, por mais que ele em si não tenha sido lá grande coisa. Fiquei o dia inteiro em casa, mexendo no computador e deveres na casa as always. Mas devo admitir que essa não era a maneira que eu gostaria que ele fosse gasto. Sabe, hoje é uma data um tanto quanto especial para mim, e eu gostaria de passa-la com quem ela se refere. Eu e o Taffa fizemos 2 anos e 2 meses de namoro. É engraçado como as pessoas veem esse tipo de comemoração. Provavelmente irão questionar o porquê de estar comemorando os meses, se eles não são importantes. Mas, na minha opinião, eles estão errados. Por mim, eu comemoraria cada dia que passei ao lado dele, porque cada dia é importante, cada dia conta. E por isso gosto de comemorar ao menos os meses, ou como dizemos um para o outro, o nosso “muito tempo” juntos.

Outra coisa que as pessoas normalmente questionam é a veracidade desse tempo. Muitos realmente não acreditam que possamos estar a tanto tempo junto. Não acreditam que uma garota possa ter começado a namorar com 14 anos, e não só isso, mas como também manter esse relacionamente até a presente data, mas vejam bem, eu não estou mantendo nada. Os laços se preservam por si só. Desde aquele 20 de dezembro de 2009  nos unimos de tal forma, que nunca mais seria possível separar. Questionem o quanto quiser, coloquem em pauta minha idade, minha inocencia e minhas suposta “ilusão”, mas só eu e ele sabemos que é verdade quando eu digo que ele é o homem da minha vida. Dirão que sou muito nova para saber disso, que, por causa da idade, me iludo muito facil e que qualquer um seria para mim o homem da minha vida. Em frente a isso, eu apenas digo: Acreditem no que decidirem acreditar e me procurem daqui a alguns anos.

Para fechar os relatos, coloco mais uma citação do grandioso filme “A invenção de Hugo Cabret” que eu apreciaria muito mais se tivesse em mãos um chocolate quente.

“If you’ve ever wondered where your dreams come from, you look around… this is where they’re made. “

Brian Selznick

Limye Chwet.

Anúncios

Dê um oi, não precisa ter medo :3

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s